"Esta é a voz daquele que grita no deserto: ‘Preparai o caminho do Senhor, endireitai suas estradas!’"
Mc 1,3 (2 Advento-Ano B)
A Boa Notícia se fez site    ★       ★   Advento

Palavra do Pároco

Glória a Deus nas alturas! - Dezembro 2017

Este hino antiguíssimo e venerável, criado segundo o modelo de cânticos bíblicos, tal como os salmos, remonta à Igreja Primitiva, utilizado inicialmente para a oração da manhã. É parte inseparável da liturgia da Missa; tanto que não poderá ser substituído por outro, como certos cantos inadequados que ferem a beleza desse hino de louvor. É recitado nos domingos, festas e solenidades, omitindo-se no Advento e na Quaresma. Ele diz:

Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens de boa vontade. Nós vos louvamos. Nós vos bendizemos. Nós vos adoramos. Nós vos glorificamos. Nós vos damos graças por vossa imensa gloria. Senhor Deus, Rei do Céu, Pai todo poderoso. Senhor, Filho de Deus Pai! Vós, que tirais os pecados do mundo, tende piedade de nós. Vós, que estais sentado à direita do Pai, tende piedade de nós. Porque só vós sois o santo, só vós o Senhor, só vós o altíssimo, Jesus Cristo, com o Espírito Santo na glória de Deus Pai. Amém.

Percebe-se que difere um pouco do que estamos acostumados, pois a tradução acima é dos originais e, no Brasil, recita-se assim: Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados... Senhor Deus, Rei dos Céus, Deus Pai todo poderoso...

O cântico da Noite do Natal, entoado no Glória, já faz parte da liturgia como os outros três cânticos: o Benedictus, o Magnificat e o Nunc Dimittis que faz parte das Laudes, Vésperas e na Noturna das Completas, enquanto que o Glória permanece na Missa. Trata-se da multidão angélica que entoava solenemente: Glória a Deus nas alturas...

A palavra Glória (doxa) indica o esplendor de Deus que suscita o louvor agradecido das criaturas e eirene que é a Paz sintetizando a plenitude dos dons messiânicos, sobretudo a salvação. Desse modo, o Menino Deus nascido em Belém é Glória e Paz.

No fim, o Evangelho de Natal narra-nos que uma multidão de anjos do exército celeste louvava a Deus e dizia: Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens que Ele ama (Lc 2, 14). A Igreja ampliou, no hino Glória... este louvor que os anjos entoaram à vista do acontecimento da Noite Santa, fazendo dele um hino de júbilo sobre a Glória de Deus. “Nós vos damos graças pela beleza, pela grandeza, pela vossa bondade, que, nesta noite, se tornam visíveis para nós”. A manifestação da beleza, do belo, torna-nos felizes sem que devamos interrogar-nos sobre a sua utilidade. Trata-se de uma explosão de alegria e de reconhecimento de que Ele é Deus e a Ele pertencem todo louvor, honra e glória.

O Nascimento de Jesus está ligado à grandeza celestial.

Na Liturgia da Missa, louvamos a Deus em comunidade e pedimos que resplandeça a paz nos corações.

Há dois cantos fundamentais, teológicos e bíblicos, presentes em nossa liturgia: o Glória e o Sanctus, pois o homem canta com todo o cosmos e com toda a criação. Por isso, não poderão, de modo nenhum, ser substituídos ou terem alterada a sua essência e estrutura.

Queridos irmãos, essas são considerações do papa emérito Bento XVI que nos ajudarão a entender e a dar a devida importância e valor a esta saudação angélica.

A Missa é um contínuo louvor a Deus e, como nos fala o papa Francisco, é na Missa que encontramos Deus: na Palavra e na Fração do Pão.

Quero que a Noite Santa do Natal tire-os das trevas e nódoas do pecado. Deixem Jesus nascer dentro de vocês! Sejam anunciadores da Paz!

Levar Jesus, anunciar a Paz é uma grande oportunidade para nos lançarmos na dinâmica e proposta de uma “Igreja em saída”. É preciso que mudemos a nossa mentalidade e agreguemos os valores mais elevados e sublimes.

Aproveitem a beleza do Natal que é a festa da família, dos amigos e procurem ser bons, vivendo a concórdia e perdoando-se mutuamente, se acaso um tiver queixa contra o outro.

O cristão é chamado ao amor e não ao ódio. Semeemos, portanto, a Paz onde quer que estejamos.

Para preparar o Natal, fizemos a Novena de Natal que teve seu início no dia 06 de novembro às 19h30, nas casas dos nossos setores e, no dia 20 de dezembro, faremos o encerramento na Igreja de São Sebastião.

Quero aproveitar para agradecer a doação dos brinquedos e o seu envolvimento na 18a Festa da Primavera deste ano, que foi um sucesso.

E, finalmente faço um convite: venham você, sua família, seus parentes, conhecidos e amigos participar com alegria das Missas de Natal e de Fim de Ano em nossa Comunidade Paroquial de São Sebastião!

Desejo aos meus queridos paroquianos um Feliz Natal e um Excelente 2018!

Que Deus os abençoe!

Cônego Alexandre D. Francisco, Opraem

Pároco da Paróquia de São Sebastião

Dezembro/2017

 

MISSAS DE NATAL E FIM DE ANO:

 

23 e 30 de Dezembro (sábados)

  • 17h: Comunidade de São Francisco de Assis.
  • 19h: Matriz de São Sebastião.

 

24 e 31 de Dezembro (domingos)

  • 7h30: Matriz de São Sebastião. NÃO TEREMOS ÀS 10H.
  • 17h30: Comunidade de São Francisco de Assis.
  • 19h30: Matriz de São Sebastião.

 

25 de Dezembro e 01 de Janeiro (segundas-feiras)

  • 10h: Matriz de São Sebastião.
•  Leia outras palavras
  • Diocese São Carlos
  • Bem-vindo à sua casa!

    Assista ao vídeo

  • Agenda Fixa da Paróquia
PARÓQUIA DE SÃO SEBASTIÃO - JAÚ
Rua São Sebastião nº 30 - Centro - CEP: 17210-060 - Jaú/SP
Telefones: (14) 3622-2814  /  (14) 3626-4000   •   E-mail: secretaria@saosebastiaojau.com.br